Este blog é dedicado a compartilhar conhecimentos nas áreas de Manutencao de Computadores, Humor, Tutoriais, Internet, Noticias, Técnologia e Informatica de Modo Geral...

Vem ai a SandBox do Windows 10 para executáveis desconhecidos


Microsoft revela que irá em breve implementar uma nova ferramente para o Windows 10, agora oficialmente denominado Windows Sandbox. Isso será bem-vindo para os usuários que querem testar um aplicativo que eles não têm certeza se é seguro instalar.

De acordo com o post no site da Microsoft Tech Community, testar aplicativos desconhecidos e executar cenários que exigem uma nova instalação do Windows, são as principais razões pelas quais a empresa está desenvolvendo o Windows Sandbox.

O post dá o seguinte resumo de como o Windows Sandbox funciona:

  • Windows Parcial - tudo o que é necessário para este recurso funcionar virá nativamente no Windows 10 Pro e Enterprise. Não haverá necessidade de baixar um VHD!
  • Cada vez que o Windows Sandbox for executado, ele simulará uma nova instalação limpa do Windows.
  • Descartável - nada persiste no dispositivo; tudo é descartado após você fechar o aplicativo
  • Seguro - usa virtualização baseada em hardware para isolamento do kernel, que depende do hipervisor da Microsoft para executar um kernel separado que isola o Windows Sandbox do host.
  • Eficiente - usa agendador de kernel integrado, gerenciamento de memória inteligente e GPU virtual

Embora máquinas virtuais como a VMware Workstation Pro, VirtualBox e QEMU existam para realizar testes praticamente sem riscos de software desconhecidos, e embora alguns componentes-chave sejam executados usando proteção baseada em máquina virtual para garantir que permaneçam seguros mesmo que o impacto de uma instância do Windows 10 seja comprometido, eles não são imediatamente viáveis ou não são os mais fáceis de implementar.

Essa novidade é ótima para os usuários de computador que se sintam desconfiados sobre qualquer software que queiram usar, mas não têm certeza se ele é seguro. Deve-se notar, no entanto, que os usuários domésticos do Windows 10 Home não contarão com este recurso; apenas as instalações do Windows 10 Pro e Enterprise terão o Windows Sandbox. 

Aqui está uma lista completa de pré-requisitos:
  • Windows 10 Pro ou Enterprise Insider build 18305 ou posterior
  • Arquitetura AMD64
  • Recursos de virtualização habilitados no BIOS
  • Pelo menos 4GB de RAM (8GB recomendado)
  • Pelo menos 1 GB de espaço livre em disco (SSD recomendado)
  • Pelo menos 2 núcleos de CPU (4 núcleos com hyperthreading recomendado)

Fonte: alternativeto.net

Ler mais »

Solução para Erro fatal na tentativa de executar o sysprep

O que é o Sysprep

O Sysprep é uma Ferramenta de Preparação de Sistemas da Microsoft para implantação do sistema operacional Microsoft Windows que foi introduzido ao sistema a partir do Windows NT 4.0 e está presente em versões posteriores.

Esta pequena ferramenta prepara um o operacional para ser clonado criando-se uma imagem do mesmo e posteriormente restaura-la em outro computador. O sistema Windows possui muitas informações que são únicas em cada instalação e estas precisam ser limpas ou  "generalizadas" antes de se poder gerar uma imagem do sistema instalado.

O que isso significa na prática ?

Para quem não sabe, a principal funcionalidade dessa imagem gerada de um sistema pronto é a capacidade de restaura-la em múltiplos computadores. Por exemplo, se você tem uma escola com vários computadores e precisa formatar, reinstalar o sistema operacional e todos os programas periodicamente, você pode criar uma imagem única de um sistema pronto com todos programas que utiliza já instalados, atualizados e propriamente configurados e em seguida, tudo o que você precisa é restaurar essa imagem em cada computador. Com isso, o processo que levaria no mínimo uma hora e meia (ou mais) em cada PC, pode ser realizado em 20 minutos.

Resumindo: Ao invés de gastar 2 horas, você gastaria apenas 20 minutos em cada computador.

Porque preciso do Sysprep ?

A muito tempo atrás, este processo de gerar e recuperar imagem era um pouco mais complicado e em alguns casos o procedimento não funcionava corretamente por causa das já citadas "informações únicas" de cada instalação do windows. Além disso, quando se recuperava a imagem em outra máquina, o sistema operacional não funcionava corretamente pois não reconhecia o novo hardware totalmente.

O principal causador deste problema era o "Identificador de Segurança do Computador" ou SIDs, que acabava ficando duplicado e isso comprometia a segurança do sistema operacional em redes e de mídias removíveis.

Alguns destes SIDs são:

  • Nome do computador
  • Identificador de segurança
  • Cache de driver

O Sysprep procura resolver esses problemas permitindo a geração de novos nomes de computadores, SIDs exclusivos e bancos de dados de cache de drivers personalizados.

Agora aqui há uma controvérsia. Alguns técnicos dizem que o SID não atrapalha o procedimeto e outros dizem que sim. Na minha experiência, na maioria das vezes que utilizei uma imagem sem usar o sysprep aconteceram problemas no sistema novo, alguns muito graves inclusive. Portanto, acredito que o mais correto e saudável para o sistema é utilizar o sysprep. Mas o que fazer se o sysprep não funciona ?

Vamos ao que viemos!

*** Vale LEMBRAR que o autor deste artigo não se responsabiliza por danos que possam ser causados no seu sistema por conta de mau uso das dicas e programas aqui indicados. Portanto, utilize com cautela e por sua conta e risco.

Pois bem, agora que já entendemos a utilidade do sysprep e vamos utiliza-lo, o que fazer quando ele apresenta este erro:


Após uma longa pesquisa encontrei algumas soluções possíveis para este problema. Testei todas essas que vou mostrar a seguir mas somente uma funcionou no meu caso.

Soluções possíveis

! ! ! A T E N Ç Ã O ! ! ! O registro é uma das partes cruciais do Windows. Se você modificar propriedades colocando nelas valores incorretos poderá fazer com que o seu Windows não inicie corretamente. Portanto, tome cuidado ao fazer qualquer modificação no Registro do Windows. Na dúvida, faça sempre uma cópia de segurança.

A primeira dica vem do site do Anderson Machado e segue (repostada) abaixo:

(...)Navegue até a pasta Sysprep, este é o caminho C:\Windows\System32\Sysprep e delete a pasta Panther.

Abra o registro do Windows e encontre as seguintes chaves:
HKEY_LOCAL_MACHINE\SYSTEM\Setup\Status\SysprepStatus  em CleanupState coloque 2 e em GeneralizationState coloque 7.

Agora encontre esta chave:
HKEY_LOCAL_MACHINE\SOFTWARE\Microsoft\Windows NT\CurrentVersion\SoftwareProtectionPlatform em SkipRearm coloque 1.

Abra o prompt de comando com direitos administrativos (botão direito executar como administrador ) e digite msdtc -uninstall em seguida digite msdtc -install

A dica abaixo é somente para 64 bits (mas tem que fazer os passos acima) copie o arquivo iesysprep.dll que esta em C:\Windows\system32 para C:\Windows\SysWOW64 e mande substituir (faça uma copia do arquivo de destino antes de substituir, para que se houver algum erro poder voltar o arquivo original). (...)

A segunda dica foi o que funcionou para mim e essa vem do usuário dc3 do forum bleepingcomputer.com e é muito simples. Basta abrir o prompt de comando como administrador e executar este comando:

net stop WMPNetworkSvc

Em seguida, execute o sysprep novamente.

Como gerar e usar imagens ?

Existem vários aplicativos excelentes para este trabalho e eu já utilizei muitos, por isso, vou indicar os que conheço e que para mim foram sempre muito úteis:


Ler mais »

Conheça o R-Drive Image - O melhor para clonar HD


Uma das melhores ferramentas de trabalho que todo o bom técnico de computadores precisa ter é um software para criação de imagens ou clonagem do HD. Em determinadas circunstâncias, este procedimento pode ser realizado para transferir completamente o sistema operacional de maneira rápida e segura de um computador para outro eliminando a necessidade de instalar tudo do inicio.

Outra tarefa muito útil que um programa como esse pode executar é a realização de backups do HD criando imagens completas das suas partições e recuperando-as posteriormente.  

Já conheci vários programas deste tipo mas o melhor que utilizei até agora, sem sombra de dúvidas, é o da R-Tools Technology chamado R-Drive Image que possui uma grande variedade de funções, é multi-lingual (que inclui o português), pode montar as imagens para acesso aos arquivos sem necessidade de descompacta-las, etc. 

Atualmente, sempre crio uma imagem de segurança dos HDs dos clientes antes de fazer qualquer tarefa no equipamento e isso, já me salvou de verdadeiras catástrofes algumas vezes.

Por padrão, sempre executo um backup manual dos principais arquivos do sistema e de arquivos pessoais do usuário mas nunca antes de criar essa imagem de segurança. Parece exagero mas, em se tratando de backup, quanto mais MELHOR!!!


O programa tem uma interface simples e bastante intuitiva que leva qualquer técnico experiente a utiliza-lo com extrema facilidade. Depois de instalar o programa no seu computador, você pode criar um disco ou pendrive de boot para utilizar nos computadores de clientes para criar as copias de segurança. Eu usei o WinToFlash para criar um pendrive com várias ferramentas que utilizo, incluindo o R-Drive.

Então, dou boot na máquina com esse pendrive e um HD externo acoplado nas portar USB e crio a imagem do HD salvando-a no HD externo.


Outra ideia muito útil é instalar um sistema operacional novo, instalar neste sistema todos os programas que deseja, fazer todas as atualizações e configurações e no final de tudo, gerar uma imagem deste sistema pronto para utilizar quando precisar fazer este trabalho novamente. Este processo elimina a necessidade de formatar e instalar tudo do zero. Quando terminar de recuperar a imagem do sistema na maquina nova, basta fazer os ajustes finos como, mudar o nome do computador e grupo de trabalho, configurar a rede e realizar mais alguma configuração especifica do seu cliente. Com isso, um trabalho que poderia levar horas pode ser concluído em questão de minutos. É claro que este processo não funciona sempre e é preciso muita experiência para saber quando isso vai funcionar corretamente ou não. 


Ler mais »

Ransomware - Veja dicas e vários decriptadores aqui


Ransomware - O que é ?

Computadores infectados mostrarão uma imagem ameaçadora informando que todos os seus arquivos estão encriptados e exigindo pagamento de um "resgate" para decripta-los. Esse é o efeito de um ataque de Ransomware. Uma vez infectado, tudo o que voê precisa fazer para recuperar seus preciosos dados e arquivos é pagar mas, na maioria dos casos, é claro que isso não acontece, ou seja, como costumam dizer no jargão popular: "Perdeu Playboy!"

O que fazer ?

Sejamos realistas, mesmo que você use mais de um antivírus, é impossível ficar totalmente inoculado e não ser atacado por qualquer tipo de praga virtual algum dia. Se você utiliza tecnologia, saiba que esta sujeito a sofrer algum tipo de ataque a qualquer hora, isso é FATO!  Mas é claro que existem algumas atitudes que devem ser mantidas para tentar evitar ao máximo a ação desses vírus e etc. 

  • Tenha um antivírus de sua preferencia instalado e sempre atualizado no seu computador e celular 
  • Evite acessar sites suspeitos
  • Não clique em qualquer link indiscriminadamente
  • Não abra anexos oriundos de emails desconhecidos
  • Pesquise e mantenha-se sempre informado e atualizado sobre sua segurança 
  • O mais importante de tudo: MANTENHA BACKUPS ATUALIZADOS DOS SEUS ARQUIVOS

Agora é tarde...

Se seu computador já foi capturado por um ransomware, antes de mais nada, NÃO PAGUE NENHUM RESGATE! Atualmente várias empresas desenvolvedoras de antivírus possuem ferramentas gratuítas para decriptar arquivos e limpar seu sistema portanto, não caia no golpe. Veja essa lista de links onde você encontrará várias dessas ferramentas para baixar e utilizar. 


Como fazer...

O procedimento mais adequado é usar um boot seguro no seu computador e a partir dai executar as ferramentas que desejar para recuperar seus arquivos sequestrados:
  1. Usando um computador NÃO INFECTADO, baixe os decriptadores que precisar
  2. Crie um pendrive bootavel do Hirens Boot CD 
  3. Copie o decriptador para este pendrive e de boot no computador com esse pendrive
  4. Execute o decriptador para tentar desbloquear seus arquivos.

A partir daqui é só torcer para que o decriptador consiga desbloquear seus arquivos por que se isso não acontecer, é como já disse no início deste artigo:  "Perdeu Playboy!"

Via: geckoandfly | Imagem: pixabay 


Ler mais »

Winamp Esta Voltando


Sem sombra de dúvidas, o melhor player de músicas que já existiu para computadores foi o Winamp que dominou essa area por muitos anos. Porém, quando começaram a surgir os serviços de streaming o aplicativo começou a cair no esquecimento e acabou sumindo. A grata novidade é que a Radionomy, atual proprietária do aplicativo, informou que pretende lançar o Winamp 6 em 2019 e promete grandes novidades.

Ainda não existem informações concretas sobre a possibilidade do aplicativo reproduzir o conteúdo de serviços de streaming como spotify e outros mas, este é um dos maiores anseios dos viciados neste programa. Particularmente não sou fã de serviços de streaming mas, seria interessante poder usar essa plataforma contando com a qualidade de um aplicativo que conheço muito bem e do qual tenho certeza que funciona perfeitamente.

Vamos ver como essa novidade se comportará e esperar que não decepcione.

Ler mais »

Como Excluir Totalmente Impressoras No Windows


Em atendimento remoto recente, me deparei com uma situação estranha e que deu muito trabalho para resolver. O cliente tem uma impressora que desapareceu do painel "Dispositivos e Impressoras" e só consegui verificar a existência dela no sistema depois que no Gerenciador de Dispositivos, cliquei no menu "Exibir" e em seguida em "Mostrar Dispositivos Ocultos" mas ainda assim, não consegui ter acesso as configurações dela. 

O resultado foi que decidi remover a impressora e instalar tudo novamente porém, o Windows não conseguiu remover a impressora. Então comecei a pesquisar sobre este problema e encontrei uma dica excelente que resolveu o problema de maneira rápida e fácil.

Basta seguir estes passos:

  • Clique em Iniciar / Executar, digite MMC na caixa de procura e teclar Enter;
  • Em Arquivo selecione a opção Adicionar/Remover Snap-in;
  • Selecione Gerenciamento de Impressão e clique em Adicionar;
  • Na tela seguinte, selecionar Adicionar Servidor Local e clique em Concluir, e em seguida em OK;
  • Na tela principal selecione Gerenciamento de Impressã, e em seguida Servidores de Impressão e finalmente, Servidor Local;
  • Clique em Impressoras e aparecerá uma lista das impressoras instaladas no seu sistema
  • Agora basta clicar com o botão direito do mouse na impressora que deseja excluir e parecerá a opção Apagar que vai remover definitivamente a impressora e seus drivers.
Depois de realizar este procedimento, consegui finalmente instalar a impressora com os drivers corretos e tudo voltou ao normal.

Este método provavelmente funcionará como desejado mas opcionalmente, você pode tentar outra dica indicada neste link.


Ler mais »

REVIEW - EaseUS Data Recovery Wizard


Recuperação de dados sempre foi extremamente importante para usuários de computadores, pois a perda de arquivos importantes é algo que assusta muito. Vou testar  hoje o EaseUS Data Recovery Wizard, que é um dos softwares que mais se destaca nessa tarefa.

Para realização deste teste usei uma mídia externa com vários arquivos grandes, deletei alguns destes arquivos da forma normal, ou seja, selecionando e clicando em "DELETAR", e deletei mais alguns arquivos usando o combo de telas "Shift+DEL". O motivo pelo qual usei essa combinação de teclas para deletar alguns arquivos é que, trabalhando na área de manutenção de computadores a mais de 20 anos, já me deparei com muitas situações em que precisei recuperar arquivos e por isso, já testei muitos programas e até agora nenhum deles foi capaz de recuperar arquivos deletados com essa combinação de teclas.

Vamos ao teste... 

Após a deleção dos arquivos executei o programa que tem uma interface muito simples e intuitiva, o que já é uma grande vantagem. Outra vantagem para nós Brasileiros é que o software é multi-lingual e o português é um dos idiomas oferecido, mesmo apesar de se tratar do Português Europeu, isso já facilita muito o uso.


O software fez uma varredura inicial onde busca informações dos discos encontrados no sistema e em seguida abre a interface principal, onde você pude selecionar qual disco seria escaneado. Este processo de escaneamento do disco pode demorar, mas vale a pena esperar completar totalmente.

Após concluído este processo, o software mostrou uma lista de arquivos e partições que foram detectadas, e então foi só selecionar os arquivos que desejava recuperar...

A recuperação dos arquivos deve ser realizada em outra mídia/disco que não seja o original, de onde os arquivos estão sendo recuperados. Assim, selecionei a pasta para onde os arquivos seriam recuperados e aguardei a conclusão do processo de recuperação.

Resultados...

Após o término deste processo, acessei a pasta onde os arquivos foram recuperados para verificar e, para minha surpresa, percebi que o programa conseguiu recuperar os arquivos deletados com a combinação de teclas "Shift+Del", o que já me deixou impressionado pois foi o primeiro que conseguiu este feito. Além disso, a quantidade de arquivos localizados e recuperados, em relação a outros programas que já testei, foi muito alta. O  EaseUS Data Recovery Wizard conseguiu detectar e recuperar vários arquivos com facilidade e de maneira bem simples.

Minhas impressões...

Gostei muito da simplicidade da interface do programa, do fato de ter tradução para o português, da quantidade de arquivos que ele foi capaz de recuperar. Já realizei este teste com vários programas do gênero e até agora, este foi o que se saiu melhor em termos de quantidade de arquivos detectados e recuperados.

Prós e Contras...

O que eu gostei
  • Interface simples e intuitiva
  • Capacidade de recuperar arquivos deletados com Shift+Del
  • Grande quantidade de arquivos detectados e recuperados
  • Multi-linguagem, incluindo o português
O que não gostei
  • Por enquanto, somente o fato da linguagem ainda precisar de melhorias na tradução, e seria bom elaborar para pt-BR.

Futuramente...

Ainda pretendo realizar testes mais aprofundados, como por exemplo, verificar a capacidade de recuperação do programa em unidades que foram formatadas, verificar o quando das partições anteriores detectadas pelo programa possuem arquivos passíveis de recuperação e outros testes.

Concluindo...

Não espere que o software realize milagres, isso não existe na informática, mas dentre os vários aplicativos que já utilizei para esta tarefa, o EaseUS Data Recovery Wizard foi o que me apresentou os melhores resultados portanto, acredito que vale o download e o investimento!



Ler mais »

Como Desinstalar Programas no Modo de Segurança do Windows



*** Vale LEMBRAR que o autor deste artigo não se responsabiliza por danos que possam ser causados no seu sistema por conta de mau uso das dicas e programas aqui indicados. Portanto, utilize com cautela e por sua conta e risco.

Uma boa parte dos problemas apresentados no sistema operacional Windows podem ser solucionados no “Modo de Segurança”. Podemos remover vírus, apagar arquivos temporários de cache e outros arquivos suspeitos, além de realizar uma série de outras tarefas importantes para recuperar, ajustar ou melhorar o sistema.

Porém no modo de segurança do Windows, o “Windows Installer”, ou serviço Instalador do Windows, fica desabilitado e inativo e isso impede a instalação ou desinstalação da maioria dos programas. 

Por sorte, habilitar este serviço é um processo relativamente fácil. Basta realizar duas alterações no registro. Para isso, acesse o editor de registro e siga os passos:

  • Abra a chave: 
    • [HKEY_LOCAL_MACHINE\SYSTEM\CurrentControlSet\Control\SafeBoot\Minimal]
  • Adicione uma nova pasta com o nome: MSIServer
  • Adicione o valor  REG_SZService” nesta chave 
  • Repita este processo na chave: 
    • [HKEY_LOCAL_MACHINE\SYSTEM\CurrentControlSet\Control\SafeBoot\Network]
  • Salve o registro

A partir disso, quando iniciar o sistema no modo seguro ou no modo seguro com rede, o serviço instalador do Windows estará ativo e funcionando e será possível adicionar e remover programas normalmente.

! ! ! A T E N Ç Ã O ! ! ! O registro é uma das partes cruciais do Windows. Se você modificar propriedades colocando nelas valores incorretos poderá fazer com que o seu Windows não inicie corretamente. Portanto, tome cuidado ao fazer qualquer modificação no Registro do Windows. Na dúvida, faça sempre uma cópia de segurança.

Lembre-se que por medida de segurança, depois de remover ou adicionar o programa desejado no modo de segurança, você deve remover as chaves criadas anteriormente. 


Ler mais »

Como Funciona a Internet Afinal ?


Faz Ideia de Como Funciona a Internet ?


Provavelmente todos os dias você acessa a internet e a utiliza de modo tão natural que nem imagina o que existe por dentro dessa rede que a faz funcionar. Quando se aventurar a pesquisar sobre isso, você encontrará um sistema elegantemente simples, mas infinitamente complexo.

O Que Acontece Quando  Clicamos ?

"Internet" significa "redes interligadas" porque é realmente uma rede de redes. Os computadores em sua casa ou escritório estão conectados em uma rede local. Essa rede está conectada a outra rede operada pelo seu Provedor de Serviços de Internet (ISP). A rede do ISPs está conectada às redes de outros ISPs. Essas redes podem ser constituídas por muitos tipos diferentes de computadores. Essa é a visão física geral da Internet.

Uma variedade de mídia física pode ser usada para fazer as conexões: cabo Ethernet, linhas telefônicas ou de transmissão de energia, sinais de rádio (satélite ou wifi) e feixes de luz visível (fibra óptica) são iguais para a Internet. O importante é que a mídia seja capaz de transmitir informações de acordo com os protocolos da Internet.

Como a Internet funciona

Existem vários tipos de protocolos, dentro ou fora da Internet. Um protocolo é uma linguagem para comunicação e um conjunto de regras para fazer algo. E o protocolo da Internet é "IP" na sigla, "TCP/IP".

O IP determina onde os dados vão e como ele viajam; O TCP garante que os pacotes de dados cheguem rapidamente e intactos aos seus destinos. O protocolo Internet é o conjunto de regras seguidas para entregar dados do ponto A para o ponto B na Internet com base no endereço IP da máquina de destino. A sigla TCP vem de "Transmission Control Protocol" que significa "Protocolo de Controle de Transmissão"; é o conjunto de regras seguidas para garantir a transmissão rápida e correta de dados entre dois pontos na Internet.

Endereços IP e o Sistema de Nomes de Domínio

Um endereço IP numérico é semelhante ao endereço escrito em um cartão postal. Ao se aplicar as regras do Protocolo da Internet a um endereço IP você pode obter dados da máquina de origem (host) com esse endereço IP. Essas regras de endereçamento e roteamento são encontradas no Sistema de Nomes de Domínio (DNS).

O núcleo do DNS é uma enorme tabela de duas colunas de nomes de domínio e endereços IP. Quando você digita "askbobrankin.com" na barra de endereço do seu navegador, o navegador envia "askbobrankin.com" para um servidor DNS juntamente com uma solicitação: "Qual é o endereço IP que corresponde a 'askbobrankin.com?'" 

O servidor DNS consulta sua tabela e envia a resposta, se tiver uma. Se o servidor DNS não conseguir encontrar a resposta, ele envia a solicitação para um servidor DNS de nível superior que tenha mais nomes e endereços. A solicitação continua sendo chutada para um servidor DNS de nível superior até que a resposta seja encontrada, se ela existir. Em todo o mundo, existem apenas 13 servidores DNS "raiz" que conhecem todos os nomes e par de endereços; a maioria dos pedidos de DNS são resolvidos (respondidos com sucesso) em níveis muito mais baixos.

Quando seu navegador recebe o endereço IP correto, ele envia uma solicitação de conteúdo da Web para aquele endereço usando o protocolo HTTP ou HTTPS. (O último especifica que determinadas medidas de segurança devem ser tomadas para proteger a privacidade das comunicações). Quando o servidor da Web nesse endereço IP recebe a solicitação, ele coleta os dados solicitados e o envia de volta ao endereço IP do navegador solicitante.

Desculpe, sem teletransporte (ainda)

Então, deixe-me esclarecer um equívoco (ou pelo menos um nome incorreto) aqui. Você realmente não "acessa" uma página da Web e, da mesma forma, não há "visitantes do site". As páginas da Web vêm até você em resposta aos pedidos do seu navegador. Para usar a analogia do correio físico, é como enviar um cartão postal de Nova York para Paris, pedindo uma foto da Torre Eiffel. 

Alguém em Paris recebe esse pedido e envia de volta um cartão postal com a foto. Você conseguiu a foto da Torre Eiffel, mas você nunca visitou Paris.

Uma página da Web pode consistir em milhares ou milhões de bytes de dados. Eles não chegam ao mesmo tempo em um pacote enorme. Os dados solicitados pelo navegador são divididos em blocos de 1.000 a 1.500 bytes. Cada bloco é empacotado com informações de cabeçalho e rodapé que especificam para onde ele está indo, de que tamanho maior de dados ele vem e onde ele se encaixa no quebra-cabeças dos blocos que terão que ser re-montados no endereço de destino.

Os blocos de dados raramente se seguem em um único arquivo através do mesmo caminho de um servidor para a máquina que os solicitou. Em vez disso, cada pacote de dados é enviado ao longo do caminho de menor resistência (velocidade mais rápida) por cada roteador que o manipula em seu caminho de volta para você. Então, esse cartão postal na minha analogia seria realmente dividido em bits, cada um identificado com o endereço de destino, e depois volta a ser montado na chegada.

A ilusão de que você está visitando um site em Paris, Londres ou Roma é criada por software. Ou se você preferir, magia. A terceira lei de Clarke afirma: "Qualquer tecnologia suficientemente avançada é indistinguível da magia".

E quanto à segurança?

Em teoria, todos os dados que viajam através da Internet podem ser vistos por pessoas que têm acesso aos computadores ou roteadores na rede local ou no backbone da Internet. Em uma conexão pública wifi, você está ainda mais exposto, porque tudo o que você pode ver em seu navegador ou programa de e-mail também é visível para outros na mesma rede wifi. Em termos práticos, isso significa todos no mesmo café, lounge do aeroporto, biblioteca ou hotel.

A resposta é a criptografia. Quando o endereço da Web mostrado em seu navegador diz HTTPS em vez de HTTP, isso significa que seus dados são criptografados antes de bater na Internet. Para quem estiver "bisbilhotando", ele aparecerá como um amontoado aleatório de números e letras.

O protocolo HTTPS combina HTTP com um protocolo de segurança chamado TLS/SSL. Na verdade, o TLS (Transport Layer Security) é uma substituição moderna e mais segura para SSL (Secure Sockets Layer), mas ambos são comumente usados ​​e, portanto, aparecem juntos. Usando certificados digitais e tecnologia de criptografia de chave pública, TLS/SSL primeiro autentica o servidor de destino, verificando que ele é de fato "askbobrankin.com" e não um impostor (malware). Em seguida, um "túnel" criptografado é criado entre o servidor de destino e a máquina host solicitante, através do qual os dados são trocados de forma segura. (...)

Toda a atividade extra de autenticação, criptografia e descriptografia de dados adiciona algumas sobrecargas para um fluxo de comunicação da Internet e as máquinas em cada extremidade. A Web pode parecer um pouco mais lenta, mas a segurança e a privacidade adicionais valem muito o sacrifício. Usar uma conexão HTTPS segura é praticamente padrão para a maioria dos sites nos dias de hoje.

Um pouco da história da Internet e um breve resumo de como ela é gerenciada hoje. 

ARPANet, que foi a precursora da Internet, foi desenvolvida no final da década de 1960 e no início dos anos 70. Foi um esforço cooperativo do Departamento de Defesa dos EUA, várias universidades e corporações privadas. No início dos anos 80, um conjunto de padrões para conexão de diversas redes ao redor do mundo foi desenvolvido e tornou-se conhecido como a Internet.

Em 1992, foi formada a "The Internet Society" como uma organização sem fins lucrativos para liderar o desenvolvimento e uso da internet. A "Internet Engineering Task Force" (IETF), desenvolve e promove padrões e protocolos da Internet.

Em 1998, foi criada a "Internet Corporation for Assigned Names and Numbers (ICANN)" para coordenar o gerenciamento do Sistema de Nome de Domínio da Internet (DNS). A Autoridade de números atribuídos da Internet (IANA) é um departamento da ICANN que supervisiona a alocação de endereços IP globalmente e gerencia os servidores DNS raiz.

"Where Wizards Stay Up Late: The Origins of Internet" conta a história das origens da Internet, com base em entrevistas com as pessoas que o fizeram. Talvez você nunca tenha ouvido falar de Bob Taylor, Vint Cerf ou JR Licklider, mas depois de ler este livro, você vai querer agradecer. Outra história interessante pode ser encontrada na página História da Internet da Internet Society.

*** Artigo livremente traduzido




Ler mais »

Como recuperar a inicialização normal do Windows 7 após trocar a placa-mãe sem formatar

https://pixabay.com/pt/service/terms/#usage

Após trocar a Placa-Mãe e Processador do computador, o Windows 7 Não inicia corretamente.

O computador do cliente com a placa-mãe e o processador queimados na minha bancada. O cliente comprou uma placa e processador equivalentes para substituir mas, não posso formatar e reinstalar o sistema operacional.

Veja bem, o procedimento correto é, fazer um backup dos dados, realizar um formatação e reinstalação limpa do sistema operacional, porém, o cliente solicitou que se possível, eu não formatasse o HD.

Em teoria, tudo deveria funcionar normalmente. Provavelmente o windows reconheceria a nova placa e solicitaria os drivers para reconfigurar e pronto mas, na prática o que aconteceu foi que o windows não consegue mais inicializar. O sistema operacional começa e o computador reinicia logo após aparecer o logo do windows 7 na inicialização do sistema.

Porque isso acontece ?

O sistema operacional tem instalado os drivers da placa anterior e não reconhece a placa nova. Portanto, o que devemos fazer é fornecer os drivers novos para que o windows consiga reconhecer os novos dispositivos e assim, voltar a inicializar normalmente.

Terramentas

Vamos precisar do seguinte: 
  • DVD ou Pendrive Instalador do windows 7
  • Drivers da placa nova
  • Hirens Boot USB
  • 7-Zip
  • Uma pitadinha de Paciência e Sorte

Mãos à Obra

Primeiramente, encontre todos os drivers da sua placa-mãe nova, principalmente os de ChipSet, e descompacte-os usando o 7-zip.

Em seguida, utilize o Hirens Boot USB para iniciar o computador e copiar os drivers descompactados para o  HD do sistema que vamos recuperar. Crie uma pasta com o nome "DRIVERS" onde estarão os drivers da placa nova e salve todos os arquivos descompactados dentro desta pasta. 

Agora, inicie a instalação do Windows 7 utilizando o seu CD ou Pendrive de instalação e escolha o idioma adequado

Depois, clique em "Reparar o computador"

Agora, escolha a opção "Prompt de Comando"

Ao acessar o prompt, digite o seguinte comando:

dism  /image:X:\  /add-driver  /Driver:X:\DRIVERS\  /recurse

Altere o X pela letra da unidade que contém o sistema que deseja recuperar e não se esqueça de indicar a pasta DRIVERS, onde estão armazenados os arquivos de drivers da placa nova.

É aqui que entra a dose de paciência por que, depois disso é só aguardar enquanto o comando dism processa os drivers que detectar para atualizar o sistema mas, saiba que neste momento é preciso esperar muito pois, o processo demora bastante. 

Em seguida, pegue firme na sorte por que, se tudo der certo e se você tiver muita sorte, depois que o dism terminar e você reiniciar o sistema, o windows deve inicializar normalmente.

Para concluir, acesse o gerenciador de dispositivos e verifique se tudo esta correto. Caso exista algum conflito ou falte algum driver, organize tudo e pronto.




Ler mais »